O AUTOR

Sou um peregrino, alguém que já estava caminhando pelo Caminho mesmo antes de se dar conta, mas que sempre buscou o sentido maior da jornada, aquele sentimento que nos atrai e nos amedronta de que algo jaz escondido e selvagem, logo ali à sua frente. É esse sentimento que nos faz sentir que a Vida é muito mais do que nos ensinaram a ver com os olhos naturais e que só mergulhando nele você encontrará o verdadeiro sentido para o qual foi criado, embora isso nos cause medo, confusão e repulsa, porque o seu eu interior, o seu ego sabe que ali ele encontrará o seu "Nemesis", pois o que é finito deve dar lugar Àquele que é Infinito, a carne deve dar lugar ao Espírito e sua alma deve diminuir para que O ETERNO cresça em você. Sempre busquei estar conectado a isso, a esse lugar, a essa fonte, para me sentir ligado a algo que valha realmente a pena crer e viver por isso. Não encontrei nada mais válido e duradouro, forte, justo e essencialmente Bom como JESUS Cristo. Ele é a síntese de tudo que li sobre filosofia, ciência e religião. Nele encontro o meu verdadeiro eu. 

Como Ele disse, Ele é O Caminho e por Ele continuo a jornada, colocando as coisas da minha vida e seus acontecimentos em perspectiva à minha confiança de que trilho uma vida com propósito. Não desejo pedir-lhe nada senão Sabedoria para trilhar essa carreira e coragem para enfrentar o que há de vir sem perder a confiança de que um dia verei as coisas como são, sem barganhar suas bençãos ou exigir recompensas por servi-lo. Quero o Caminho do Peregrino, o Caminho de Abraão e dos profetas e santos e loucos e poetas de todos os tempos que abriram mão desse "mundo", desse sistema satãnico para viver uma loucura aos olhos de todos: confiar em algo que não se vê, mas que traz mais realidade e lucidez às nossas vidas do que o rotineiro, o comum, o medíocre. 

Prossigo pelo Caminho com olhos e ouvidos abertos, muitas vezes admirado, estupefato, outras indignado, irado, confuso, pois quando se perde a capacidade de se maravilhar ou de se irar contra a injustiça, nos tornamos menos humanos, e assim, perdemos o foco na Perfeição e Excelência que deseja nos moldar à imagem e semelhança Dele. Ninguém me prenda. Sou um peregrino e anseio pela liberdade da imensidão, pois muitos hoje se fazem escravos da opinião de outros e se metem sob jugo alheio pois não tem a coragem de fazer como Abraão e confiar em DEUS, desertando de Ur e sua pretensa segurança e facilidades para viver num deserto, onde tudo parece mais árduo, mas onde, no entanto, a Graça é mais abundante. 

Isso não é um exílio, não desejo o isolamento, desejo conhecer pessoas pelo Caminho, peregrinos como eu, com o mesmo coração e espírito de liberdade. Quem sabe, poderemos trilhar juntos pelo menos uma parte do Caminho destinado a nós.

Leia também