18 setembro 2010

ZEITGEIST - O ESPIRITO DA MENTIRA REFUTADO FURO A FURO Parte III

A VIA CONTRARIA DE INFLUENCIA E O VERDADEIRO CERNE DA EXPERIENCIA CRISTÃ – O TESTEMUNHO DE ONTEM E HOJE – Este post faz parte de Zeitgeist refutado/parte 3 de 4

 É possível até que tenha havido o processo contrario de influencia, ou seja: vendo o cristianismo crescendo exponencialmente, muitos religiosos procuraram adaptar seus mitos de modo que pudessem alegar essas semelhanças. Isso é verdade, por exemplo, no caso de Apolônio de Tiana, um pretenso homem miraculoso do qual há alguma referencia histórica entremeada a muitos feitos extraordinários atestados por pouquíssimos neófitos, mas que se parece muito mais com uma tentativa gnostica de rivalizar com o cristianismo mais ortodoxo.

 Sabe-se que o gnosticismo (uma espécie de sincretismo entre o cristianismo e tradições orientais e helênicas) rivalizou com o cristianismo nos primeiros séculos chegando mesmo a ser aceito por uma boa parcela do mundo cristão da época. Gnostico ou não, a figura de Apolônio (que alguns procuraram associar ao Apolo de Atos 18.24, mas ali lemos que Apolo era judeu, natural de Alexandria) ele está muito mais para uma figura mais ligada ao cristianismo, mesmo gnostico, que um messias da linha solar. Apolônio é, ao meu ver, uma dessas tentativas de elevar a imagem de alguém ao mesmo patamar do de Cristo, mas as evidencias e implicações históricas que cercam as alegações acerca de seus feitos são de peso irrelevante. Dizer que as evidencias históricas e relatos acerca desse personagem poderiam leva-lo a ser tão importante quanto JESUS Cristo, se não houvesse uma conspiração para prevalecer o cristianismo, é desprezar o peso de uma montanha em relação a um monte de areia.
Na verdade, o impacto do Evangelho, a mensagem de que JESUS ressuscitou dos mortos,  sobre o mundo antigo se deve ao efeito transformador continuo na vida de pessoas que tomavam contato com a Palavra. Não se trata da mera aceitação de um credo ou de um ritual, mas algo estranho a qualquer religião vista até então: o testemunho de que JESUS podia mudar o viver de quem quer que fosse, simplesmente pela fé Nele. Os apóstolos davam continuo testemunho dessa capacidade de JESUS pois exibiam vidas transformadas. As pessoas da época conheciam os judeus e os apóstolos não eram como os judeus que eles conheciam.
 Essa foi a mensagem que impactou o mundo, pois o interior do ser humano nunca mudou e a falta de paz interior que vemos hoje, que se traduz num viver vazio e sem sentido, já grassavam num mundo tingido  pelas cores violentas e luxuriantes de Roma. Paulo diz em Romanos 5:1 :  “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”.
Paz com DEUS se traduz num viver diferente diante dos homens que significa dizer que a necessidade principal do homem foi suprida e o vazio se foi. Essa verdade revolucionaria atingiu, através de Paulo, até mesmo a guarda pretoriana que o guardava em uma de suas prisões por causa do Evangelho:  “ Filipenses 1. 12 :Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho;13 - de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais”. Até mesmo debaixo do nariz de Nero, havia cristãos (Filipenses 4:22  :Todos os santos vos saúdam, especialmente os da casa de César). Ao que parece, pelo menos um de seus conselheiros mais próximos, Evellius, foi martirizado como cristão.
 A mensagem e o testemunho dinâmico de Cristo não mudou. O testemunho do cristianismo é o mesmo. Milhares de vidas atualmente atestam que tiveram seu viver transformado por aquilo que chamamos de “encontro pessoal” com a Palavra Viva, ou seja, o próprio Cristo presente através do Seu Espírito, como naqueles dias em que Ele se movia através das cidades palestinas e mudava o curso da vida de pessoas tão distintas quanto um religioso como Nicodemos e a mulher samaritana. Os tempos e as mudanças no mundo não mudaram a alma humana. Ela continua presa ao vazio existencial, sem perdoar-se de seus pequenos pecados, que em geral, vão se avolumando formando e fazendo da existência um inferno. Em Cristo, segundo suas próprias palavras em Mateus 10, 28 a 30,, encontramos alivio da bagagem e novo fôlego de vida, algo comparado com um novo nascimento. Muitos podem erguer seus olhos pela primeira vez e contemplar os céus abertos, pois eles não mais os condenam, pois agora há uma Paz ali que não havia antes...Paz com DEUS através do sacrifício de JESUS! Essa experiência subjetiva, que não pode ser comprovada por nenhum método cientifico, e que é o cerne da experiência cristã genuína, chama-se GRAÇA, favor imerecido.
 São inúmeros os relatos que nos chegam de pessoas que tomam conhecimento da Graça e perdão que existem em JESUS em lugares dominados pelo controle islâmico. São relatos tão parecidos com os encontrados no Evangelho que parecem ter sido escritos naquela época: 
Adil*, um cristão do Tadjiquistão, país emancipado da antiga U.R.S.S. , testemunha que esteve presente durante a tortura e morte de um cristão quando era muçulmano. Esse cristão impactou Adil porque, além de aceitar a morte como algo natural e não implorar por sua vida, prova de honra entre os muçulmanos fundamentalistas acostumados a enfrentar a morte naturalmente, orou a DEUS perdoando seus agressores e pedindo sua salvação, algo incomum para os padrões islâmicos de Adil. Com o passar do tempo, Adil tomou contato com o Injil (Evangelho) e teve uma experiência verdadeira com a GRAÇA. Foi expulso de sua casa por seus parentes, que inicialmente iriam mata-lo, e exilado de seu país, mas voltou anos mais tarde como pregador do Evangelho. Ele atesta que:
 “Muitos dos ex-rebledes (que lutaram contra os russos) me conheciam como um muçulmano zeloso, cuja fé, porem, não impedia de  matar pessoas e nem de usar drogas. As mudanças em mim, no meu estilo de  vida e em meu ponto de vista tem feito eles refletirem. É claro que tenho dificuldades: a pessoas ficaram irritadas comigo , minha esposa não voltou para mim, meus parentes continuam com raiva, mas, honestamente, estou feliz por ser um soldado de Cristo.”
 *Esse testemunho foi originalmente publicado na revista “Portas Abertas” de agosto/setembro de 2008. Mais testemunhos, acesse:http://www.portasabertas.org.br/testemunhos/


 No livro “Evidencias que exigem um veredito”, de Josh MacDowell, vemos exemplos parecidos como “prova”, ainda que subjetiva de que Cristo continua fazendo as mesmas coisas nas vidas das pessoas há mais de 2000 anos. Um dos testemunhos é do cantor B.J.Thomas, interprete do sucesso internacional 'Raindrops Keep Falling On My Head'.
 Ele mesmo conta que "... Em 1970 ele já havia ganho 13 milhões de dólares. Em 1976, apesar do sucesso em vender mais de 32 milhões de discos, inclusive o grande sucesso 'Raindrops Keep Falling On My Head', B. J. Thomas devia mais de 800.000 dólares.
Não era apenas na área financeira que sua vida estava falida. Apesar da carreira bem sucedida de cantor, durante anos B. J. Thomas sentia-se uma pessoa profundamente angustiada. Era viciado em drogas, gastando três mil dólares por semana em cocaína. Além disso, estava tão dependente de estimulantes e tranqüilizantes que tomava de 40 a 50 comprimidos de cada vez, apenas para se manter... Certa vez tomou 80 pílulas e foi retirado inconsciente de um avião no Hawaí, estado norte-americano. Foi levado às pressas a um hospital. Quase morreu por excesso de drogas, e naquela época pouco se importava se tivesse ou não morrido... Mas certa noite sua esposa levou-o para fazer uma visita casual ao lar dos amigos que a tinham levado ao Senhor.
O marido, Jim Reeves, estava fora, mas a esposa os convidou para ficarem para jantar. 'Senti tanta paz naquele lar', disse B. J. Thomas, 'que eu sabia que deviam conhecer Deus. Quando Jim chegou em casa perguntei-lhe a respeito, e ele começou a me falar sobre o Senhor'... 'Enquanto orava', conta B. J. Thomas, 'senti uma perturbação em meu peito. Durante um minuto senti uma forte dor e pensei que estivesse com uma costela quebrada. Então tive a sensação de que algo estava 'simplesmente indo' e uma paz me invadiu. Tive então uma atitude receptiva e ouvi atentamente tudo o que me diziam. Então abaixei minha cabeça e comecei a orar. Orei durante aproximadamente vinte minutos. E orei dizendo todas as boas coisas que haviam me dito que eu devia dizer... Sua libertação das drogas foi algo tão maravilhoso quanto sua salvação, e a partir daquele dia (29 de janeiro de 1976) até hoje, nunca duvidou da experiência que teve com o Senhor nem de que a salvação que recebeu é real ". 

Zeitgeist, como um todo, tem um alvo, o stabilishment, do qual a religião organizada sempre fez parte como meio de conduzir o gado humano. Os compiladores do video estão alinhados com a atual tendência anarco-capitalista de "pensadores" livres como Jeremy Rifkin, autor de Entropia, Daniel Quinn, autor de "Ismael" e "História de B" e Stephan Molineux. Para esses e outros, a civilização atual não passa de uma conspiração urdida por mentes perversas e cruéis, que empregam quaisquer meios para atingir seu objetivo: controle e poder. Isso não está longe da realidade. Até certo ponto, concordo com as críticas levantadas por tais autores, acho relevante e interessante sua linha de raciocínio. A civilização realmente é uma conspiração e a religião organizada sempre foi uma de suas armas mais eficazes. Ocorre que não podemos jogar fora o bebê junto com a água suja da banheira. Seu erro está em não fazer a separação devida da mensagem de Cristo daquilo que os homens fizeram com ela. Tal mensagem guarda em sua forma original tanto poder para subverter as regras da civilização que, como seu autor, teve que ser encarcerada, mutilada e crucificada, e presa, a estruturas e modelos de controle que a tornaram amortecida dentro de si mesma. Libertar tal poder das mãos da inércia seria perigoso para o mundo como o conhecemos. A sociedade e o mundo como todos desejamos e sempre foi o sonho dos grandes realizadores da humanidade, nunca será alcançada por filosofias humanas e políticas sociais, mas importa que o homem siga pensando que pode tomar para si as rédeas de seu destino e evolução. Quando todas as opções se mostrarem inviáveis e toda iniciativa, por mais bem intencionada, desembocar em tirania e controle despótico, o homem saberá que um novo mundo só pode se construído por pessoas que foram transformadas por dentro verdadeiramente. Será o fim do reino dos homens e um novo início para os que esperam a concretização do REINO.

  

0 comentários:

Postar um comentário

Leu, gostou, odiou, quer malhar? Deixe sua opinião, ora bolas!!!Tá com medo, por que entrou na Trincheira? Não fique em cima do muro!!!!

Leia também