13 setembro 2010

BRIAN HEAD - MAIS UMA "VÍTIMA" DO EVANGELHO (GRAÇAS A DEUS!!!)

Ele foi um dos integrantes de uma das bandas mais aclamadas dos últimos tempos no cena metal americana, precurssora do estilo que ficou conhecido como Nu-metal (new-metal), o doentio Korn, com suas letras paranóicas e atitude pra lá de transgressora, ou seja, um prato cheio pra garotada sedenta não só por música pesada mas por referências de comportamento. Brian era um dos ícones da banda e o motor principal da usina de riffs pesadísssimos que impulsionavam as canções. O Korn vendeu muito, cerca de 30 milhões de discos, em pouco mais de dez anos de carreira. As consequencias do sucesso de uma banda de rock todos estão carecas de saber: festas e mais festas regadas a muito, mas muito mesmo álcool, sexo e drogas, a trindade indefectível no inconsciente coletivo dos jovens que buscam se libertar do sistema através da música e acabam caindo em outra armadilha do mesmo sistema, sendo escravizados para trabalhar para a indústria que massifica qualquer forma de contracultura, embalando-a numa roupagem perfeitamente comercial para continuar a lavagem cerebral na mente das gerações seguintes que continuam buscando mais do mesmo.  O círculo vicioso se repete, como no caso de Brian, que teve sua vida praticamente destruída no altar do rock. Por pouco mesmo ele não se tornou mais um ídolo imolado nesse altar pagão que já devorou tantas vidas, de Jim Morrison a Lane Staley do Alice in Chains.

Mas algo diferente aconteceu a Brian: o Evangelho o atingiu em cheio em 2005. Alguns dirão que é o velho escapismo agindo aqui, o remorso e a culpa fazendo um fraco de mente se segurar como pode na muleta da religião, mas o que a religião pode oferecer de tão atrativo a um viciado em drogas sem nenhuma autoestima e que odeia  a si mesmo? A religião organizada, longe de trazer alívio aos tais, só torna seu fardo mais doloroso e insuportável pelo esforço inútil exigido. Brian fala de outro tipo de experiência, não do tipo de uma concordância mental a um credo, mas de uma experiência interior tão viva e eficaz para mudar seus paradigamas e restaurar sua saúde física e mental que podemos dizer que ele realmente experimentou o que as pessoas relatam através dos séculos: um encontro com Aquele que Ressuscitou! A religião não pode dar isso a ninguém, é pessoal e intransferível e ninguém pode julgar isso. Para entender um pouco o que se passou com ele, recomendo o vídeo feito com Head para a série  feita pelo movimento "I am Second" que relata a experiência de conversão vivida por várias pessoas entre elas "celebridades" americanas, como o ator Stephen Baldwin, que descobriam que suas vidas não eram nada sem o verdadeiro DEUS, que não está nos templos feitos por mãos humanas mas que deseja morar em nosso interior, porque foi ali que ele preparou uma casa  ideal para si.


Esta entrevista de Head é antiga (2007) mas é bastante interessante e extensa e serve para quebrar o imenso silêncio na mídia brasileira sobre o cantor, que é também um escritor best-seller com dois livros autobiográficos listados no New York Times, "Save me from Myself" e "Washed by Blood" . a entrevista foi concedida ao site de notícias de Bakersfield/Ca., Turnto23.com da rede ABC, por ocasião do lançamento do seu primeiro livro. Para os fãs de Head e para aqueles que procuram verdadeira contracultura.


Bakersfield, Califórnia - Na segunda-feira 30 de julho, Brian "Head" Welch falou ao ABC23 sobre seu novo livro, "Save Me From Myself", que recentemente alcançou o top 15 na lista do New York Times Best Seller.Welch é o ex-guitarrista principal da banda Korn e é de Bakersfield.Em sua entrevista, Welch discutiu temas como escrever suas memórias, sua dependência de drogas no passado, os líderes da igreja Bakersfield, a sua vida na solidão, e por que ele deixou  Bakersfield.
 Ele vai ter uma sessão de autógrafos em Bakersfield em 1 de agosto às 04:00 no Russo's no Marketplace, na  Ming Avenue, 9.000


Entrevista:ABC23: Primeiro, quero dizer "Save Me From Myself" é um olhar honesto para a realidade que enfrentam muitas pessoas hoje que estão presos na cultura das drogas. A sua crueza, embora honesta e inspiradora, é preenchido com uma linguagem gráfica do uso de drogas. Que tipo de feedback que você está recebendo?

"Head" Welch: Eu estou recebendo um feedback muito bom. Um monte de pessoas quebradas pelas drogas estão sendo inspirados por ela. Eu não tenho comentários negativos sobre a crueza e o realismo mostrados. É que as pessoas esperavam, você sabe. Poderia realmente ter sido pior. Se eu não estivesse apenas tentando ser real ou contar a minha história, isso poderia soar como um daqueles  livros, sabe.. . Mas eu só queria contar a minha história ... isso é inspirar as pessoas. 

ABC23: Eu tenho algumas perguntas sobre o processo de escrita. Agora, algumas pessoas escrevem livros, seja ficção ou não em ordem cronológica. Você começou no início? Ou talvez você tenha escrito a segunda metade ou um monte de peças em simultâneo?

"Head" Welch: Eu penso que o prefácio eu escrevi por último. Mas a história que eu escrevi, fiz como tudo aconteceu. Foi um caminho de volta e fui capítulo por capítulo.Eu só queria ter toda a história para as pessoas sobre quem eu sou, de onde eu vim, e eu queria jogar toda a história do Korn em todo lá também, sobre como todos nós nos encontramos, porque é interessante.Eu queria que fosse interessante também. Eu acho que um monte de gente passa por aquilo que passei no interior e não conta a ninguém. Temos problemas quando somos crianças,com tudo, com os amigos, intimidações (bullies-valentões), com a vida em geral, o que passamos, com as drogas, e nós não falamos muito disso. E eu queria falar sobre isso. 
Segundo livro de "Head"- "Washed By Blood" (Lavado pelo Sangue)

ABC23: Parece que a primeira parte sobre o seu crescimento e dos dias no Korn foi mais difícil de escrever, não é?

"Head" Welch: Foi muito difícil em algumas partes. Mas eu diria que a coisa mais difícil foi escrever sobre alguns dos maus-tratos físicos, com a minha ex-esposa. Escrever sobre coisas que acabaram .... Algumas das coisas eram apenas difíceis de voltar atrás e re-pensar. Eu não tinha que compartilhá-las com ninguém.Eu poderia ter deixado lá. Mas eu senti que estava ajudando alguém se eu fosse compartilhar os meus detalhes íntimos.Você pode sentir a dor quando você está lendo isso em alguns desses pontos. Eu senti a dor quando eu escrevi isso. Então, é verdade. 

 AudioABC23: Que tipo de rotina que você tem ao escrever? Qualquer hora do dia?

"Head"Welch: Eu só fui e fiz. É como se eu tivesse energizado quando eu comecei a trabalhar .... Eu fui lá várias vezes, muitas vezes. Eu fiz isso durante o dia, principalmente entre 08:30, 09:00 até 05:00. Às vezes, um monte de finais de semana. Minha filha poderia ir lá e jogar com um amigo e ficar a noite e eu ia trabalhar nisso durante 12 horas consecutivas. 

ABC23: Todo escritor precisa de um editor. É assim como é feito sempre. E os editores podem ser anjos ou demônios. Fale-me sobre o seu editor? Quem foi o editor e como eles ajudam na formação de sua memória? 

"Head" Welch: Oh,cara, os editores foram simplesmente fantásticos: Adam Palmer, Jeff Dunn. Eles estavam quase escrevendo tudo para mim. Eles me entrevistaram em vídeo ... Eles estavam fazendo-o inteiro.. Quando eles fizeram o primeiro rascunho, eu os corrigi tantas vezes porque não viveram aquilo. Eu vivi isso. Foi no primeiro capítulo. Quando comecei a corrigi-lo. Eu apenas re-escrevi. E foi então que  eu assumi o resto do livro. Eu pus para fora todas as coisas que eu passei. Eu tentei escrever um livro sozinho. Eles o pegaram depois e transformaram-se nos editores dele depois. Eles reformularam algumas coisas e as puseram junto ao lugar correto de onde fluiam. Eles foram fantásticos. Você sabe, nem tudo foi perfeito. Mas o livro não seria o que é se eles não estivessem lá para me ajudar.Eu ainda preciso dos editores naturalmente. Quase no final, o prefácio eu escrevi sozinho. Eu não poderia ter feito isso quando eu comecei, mas eles me diziam algo como, "Você não precisa mais de nós." 

ABC23: Mas como é que tudo começou? Alguns livros começam como epifanias. Foi esta a ideia que surgiu com a frequência e você a levou a um editor? Você orou sobre isso? Acho que um monte de escritores quer saber como surgiu este livro.

"Head" Welch: Foi divino,cara. Eu estou lhe dizendo...Uma amiga estava em contato com alguns editores e algumas pessoas da área... Eu nem estava tentando começar um negócio como fazer um livro. Ela estava conversando com alguém, um agente da Harper (editora) e ele realmente queria que a história virasse um livro. Procuraram-me e eu disse "Eu não quero escrever um livro. Eu sou um músico. Eu quero fazer um álbum". E depois que eu orei sobre isso, era como se... sabe, esta é uma boa oportunidade para dizer o que aconteceu comigo. Eu mergulhei nisso. Parece que quando Deus quer fazer algo por mim e através de mim , é como se eu fosse a maior pedra na estrada bloqueando seu caminho ... Mas aí quando passa a coisa acontece. 

 ABC23: Você nunca escreveu um livro e você está no top 20 NYT em uma semana e número 33 na seguinte. Isso é incrível.

"Head" Welch: Sim, é incrível, cara. Aconteceu tão rápido. Ele era o número 20. Então eu estava tão feliz e depois saltou para 15 ... então ele caiu para 33 ... é uma loucura. 

ABC23: Eu vi uma entrevista recente com você na Fox, onde o repórter a entrevistá-lo chamou a música do Korn de "satânica". Uma banda de punk pop pode estar vivendo um estilo de vida selvagem e ter canções com letras duras e ser de difícil convivência.Pensei que talvez você se segurou um pouco quando ela disse isso. Mas você estava lá para falar sobre seu livro, não a sua opinião sobre Korn ser satânico ou não. Você tem alguma opinião sobre o que agora que o repórter disse sobre a música do Korn ser satânica? Quero dizer, talvez você se sentiu ofendido ...

"Head"Welch: Bem, era 6:30 da manhã. Eu tinha  acabado de acordar. Foi a minha primeira entrevista televisiva ao vivo em dois anos e meio. Bem, eu nunca fiz isso, eu não acho, exceto quando eu estava bêbado no Korn e fazendo MTV, TRL. Mas  falando por mim sobre essas coisas ... bem, quando ela começou a entrevista, ela disse, "Isso é quase satânico". Isso apena voou sobre a minha cabeça. Era como, "Que seja, minha senhora. Eu estou ao vivo pela TV agora. "O que vou fazer agora, argumentar com esta senhora? Eu estou no seu show.Então eu vou simplesmente deixar isso rolar, do tipo rir com a coisa toda. Ela até disse: "Como podemos manter nossas crianças se transformem-se como você?"  Eu só estava rindo de todas as coisas que ela estava dizendo.Foi engraçado para mim. Mas de qualquer forma ela é conservadora.Esse vídeo não é satânico. Foi para o Tomb Raider. Era com Angelina Jolie.Foi um filme. Isso é o que ela estava vendo. Então, eu não quis ser esperto o suficiente para acabar com aquilo. Eu só queria ficar na entrevista e falar sobre o livro.Eu poderia ter dito, "Satanico? O que você entende por isso? "  Mas isso seria meio intimidante,de minha parte. Eu senti como se eu era o convidado, eram responsáveis. Era negócio deles.

ABC23: Bakersfield tornou-se um desafio difícil em seu despertar espiritual. É um lugar onde você cresceu, tinha grupos de amigos, e fez amizades espirituais. No entanto, seu livro menciona Bakersfield como um lugar difícil para você pessoalmente. Você menciona o conflito de ser puxado para diferentes denominações.

"Head"Welch: Eu penso que o problema não era principalmente Bakersfield. Acho que foram apenas os homens, seres humanos, você sabe?Os seres humanos discordam sobre as coisas.Como  Pastor Ron de Valley Bible. Ele não queria que eu ficasse confuso. Havia tantas câmeras e olhos em mim que queriam falar comigo e queriam ver o que eu estava fazendo.Ele não queria que eu ficasse confuso, na minha opinião.Mas eu acredito que Deus estava me levando até esta outra igreja por causa das coisas profundas de Deus. E Ele queria me ver crescer rapidamente. Assim era confuso para mim. Porque eu estava nessa primeira igreja. Fui levado até lá. Assim eu pensei, bem, eu deveria ser fiel a esta igreja porque eu fui salvo lá lá. Mas então Deus estava fazendo outra coisa.Há um monte de coisa que acontece nas igrejas, e eu tinha que ficar longe de igrejas por algum tempo. Deus levou-me para fora ... Um monte de gente dizia: "O quê?"Sim, Ele (Deus) o fez. Ele me levou para fora e ele queria que eu ficasse em reclusão com Ele, para conhecê-lo. Mas ele me levou de volta em uma igreja em meu novo lugar onde eu moro.É tudo de bom. Mas eu acho que foram apenas homens. Apenas nós, seres humanos aqui embaixo. Eu não acho que foi Bakersfield. 

ABC23: Porque você acha que os líderes da igreja Bakersfield falaram diretamente para você, ao invés de ter seus pastores auxiliares acompanhando você? Você acha que eles se apegaram ao fato de você ter sido uma estrela do rock?

"Head"Welch: Talvez um pouco, sim. Porque quando eu decidi dar o meu testemunho no Valley Bíble e eu o disse ao líder da igreja e a primeira coisa que ele disse foi: "Por que você não ora por isso, para saber se é isso o que Deus quer que você faça". Ele não me pediu para dar meu testemunho. Veio tudo de mim mesmo.Mas, quando tudo veio à tona, a MTV, CNN estavam na igreja.Acho que todos nós fomos pegos nisso.Foi muito louco. Eles (Valey Bíble) foram atropelados por milhares de e-mails por dia quando toda aquela coisa aconteceu. Acho que todo mundo foi afetado por ela. Foi louco de uma maneira que nenhum de nós pensava que seria. Eu fiquei sobrecarregado, e eu tenho certeza que a igreja ficou sobrecarregada demais também. Eu acredito que tudo aconteceu apenas por uma razão. Tudo isso, porque era a vontade de Deus que ele queria que eu saisse da cidade e fosse em reclusão com ele por um tempo.Não era porque alguém era ruim ou tentando se aproveitar de alguma coisa. Ele (DEUS) usa as coisas para empurrar as pessoas para uma direção que ele quer que as pessoas vão. 

ABC23: Seu livro menciona claramente que você tinha que sair de Bakersfield para continuar seu crescimento espiritual. Você escreve sobre mover-se ao deserto do Arizona. É muito misteriosa a forma como você escreve sobre isso. Me faz lembrar do livro de Thomas Merton "Pensamentos na Solidão". Eu não sei se você leu esse livro.Quais são as suas reflexões sobre a solidão no deserto e crescimento espirituais?

"Head"Welch: Eu vou escrever isso, espera(pausa)...Acredito que qualquer um e todos que são cristãos devem  ficar a sós com Deus. É onde nós mudamos. É onde nós somos pessoais com ele. É onde a religião é colocada de lado.Não se trata de sair e fazer e ser uma parte da igreja, ou isto e aquilo. O que é bom. E as pessoas tem que fazê-lo em seu devido tempo.Para que sejamos eficazes neste mundo temos de ser transformado por Deus ...Liguei para um amigo que morava lá (Arizona). Nós sentimos que estavámos dispostos a ficarmos conectados. E ele tinha um estúdio de gravação lá fora.Eu mudei para lá apenas para ficar em um hotel para gravar algumas músicas. Eu estava tão energizado. Eu queria fazer algo para Deus. Eu estava tão animado com minha nova vida. Mas quando cheguei lá me senti levado a comprar uma casa e mudar totalmente para lá ... eu tentei fazer a gravação, então eu apenas parei de gravar. Era como, "Eu estou indo para a solidão. Assim vai ser com Deus em minha casa durante horas todos os dias. "

ABC23: Um dos amigos do myspace ABC23 queria perguntar se você se encontra agora mentoriando outros.

"Head"Welch: Eu mal saí de tudo. Eu me apeguei a minha filha. Estou realmente mentoreando ela, ensinando sobre as coisas. Ela tem nove anos de idade ... Eu vou devagar, tomando o meu tempo ... Eu estou apenas começando, você sabe ...

ABC23: Você escondeu a sua dependência da metanfetamina durante muito tempo. O que a abertura sobre ela significa para você? E qual é o seu sentimento sobre o que o governo está fazendo sobre a metanfetamina na sociedade?

"Head"Welch: Faz-me sentir bem (abrir-se sobre isso). Muitas destas coisas que eu compartilhei são embaraçosas. Foi muito duro. Foi um secredo. Ninguém ia saber o que aconteceu. Mas faz-me sentir bem vendo como as pessoas, você sabe, toxicodependentes, ex-toxicodependentes.Eles estão vindo até mim para estas sessões de autógrafos, dizendo: "Estou realmente inspirado por seu livro. Eu precisava disso. "As pessoas estão chorando ... apenas lágrimas de gratidão ... E é uma sensação muito boa o que e sinto a partir delas. Elas só me fazem sentir bem, eu fiz a coisa certa por compartilhar este material.Eu não sabia se era a coisa certa. Eu estava tendo dúvidas sobre o material que eu estava compartilhando.Mas no final do dia, quando você receber uma resposta como essa, só faz você se sentir bem realmente.Esse negócio de política está acima da minha cabeça. Está fora da minha nuvem de dois anos e meio ...Eu só estou tentando fazer a minha parte partilhando onde as drogas me levaram, a lugares ruins. Eu tenho uma plataforma de onde as pessoas podem me ouvir. Estou apenas tentando fazer um "trabalho manual" (como artesanato - n.t.) de forma positiva.


Enfim, é muito bom ouvir uma pessoa testemunhar que DEUS foi efetivo em sua vida e que agora caminha num novo rumo graças ao Evangelho de Cristo. Eu espero que Brian seja forte e não venha nunca ceder às tentações e frustrações que nos acometem ao longo da jornada, pois seu fardo é duro, por se tratar de uma celebridade. Muitos olhos estão sobre ele. Alguns torcem pela sua nova vida, outros desejam que ele caia para acusa-lo de hipocrisia. Mas nós devemos saber que ele é apenas um homem e, como todos nós, fraco e dependente da Graça para se manter em pé. Como todo ex-viciado, nas drogas ou no pecado, nós só podemos ansiar por viver e vencer um dia após o outro, sem nunca presumir que estamos curados e que podemos andar por nossas próprias pernas. É isso aí. 

Sigam  "Head" no Facebook, , ouça suas músicas no MySpace e confiram as news dele no seu site

2 comentários:

Priscila Acarino disse...

Amigo navegando aqui achei esse seu site, mas queria saber sobre esse livro se há versão traduzida para o português.

ALDO VIEIRA disse...

Não, não há tradução disponível atualmente.

Postar um comentário

Leu, gostou, odiou, quer malhar? Deixe sua opinião, ora bolas!!!Tá com medo, por que entrou na Trincheira? Não fique em cima do muro!!!!

Leia também