17 janeiro 2009

“ESTÁ ESCRITO” – AS PALAVRAS DO PROPRIO JESUS SOBRE A AUTORIDADE ESPIRITUAL E PROFETICA DAS ESCRITURAS HEBRAICAS

Encontrei esta expressão em 17 passagens diferentes dos quatro Evangelhos (visto que eles repetem varias passagens textualmente o que elevaria esse numero consideravelmente) em ocasiões em que o SENHOR JESUS quer ensinar tanto seus discipulos quanto  seus adversarios citando alguma passagem da Bíblia que Ele lia, a qual ele frequentemente citava para endossar o caráter profético de sua missão e apontar para a origem divina de ambos.

 

As passagens a seguir são referencias diretas à expressão “Esti Grapho”, mas  há outras passagens bem conhecidas em que o SENHOR outorgou autoridade inspirada às Escrituras hebraicas, como veremos depois.

 

Mateus 4:4  Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus – (Deuteronômio 8,3)

Mateus 4:7  Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus – (Deut.6,16)

Mateus 4:10  Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto – (Deut. 6,13)

Mateus 26:24  O Filho do Homem vai, como está escrito a seu respeito, mas ai daquele por intermédio de quem o Filho do Homem está sendo traído! Melhor lhe fora não haver nascido! – (Sobre Judas: Zacarias 11, 12 e 13)

Mateus 26:31  Então, Jesus lhes disse: Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho ficarão dispersas. – (Zacarias 13,7)

Marcos 7:6  Respondeu-lhes: Bem profetizou Isaías a respeito de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim – (Isaias 29,13)

Marcos 9:12  Então, ele lhes disse: Elias, vindo primeiro, restaurará todas as coisas; como, pois, está escrito sobre o Filho do Homem que sofrerá muito e será aviltado?

Marcos 9:13  Eu, porém, vos digo que Elias já veio, e fizeram com ele tudo o que quiseram, como a seu respeito está escrito – Malaquias 4,5

Marcos 11:17  também os ensinava e dizia: Não está escrito: A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações? Vós, porém, a tendes transformado em covil de salteadores – (Isaias 56,7)

Lucas 18:31  Tomando consigo os doze, disse-lhes Jesus: Eis que subimos para Jerusalém, e vai cumprir-se ali tudo quanto está escrito por intermédio dos profetas, no tocante ao Filho do Homem – (Isaias 53, Salmo 22)

Lucas 10:26  Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? – (em referencia a pergunta de o quê fazer para ser salvo feita por um doutor da Lei)

Lucas 20:17  Mas Jesus, fitando-os, disse: Que quer dizer, pois, o que está escrito: A pedra que os construtores rejeitaram, esta veio a ser a principal pedra angular? – (Salmo 118,22)

Lucas 21:22  Porque estes dias são de vingança, para se cumprir tudo o que está escrito – (sobre o povo que o rejeitou: Deuteronômio 28:37  Virás a ser pasmo, provérbio e motejo entre todos os povos a que o SENHOR te levará)

Lucas 22:37  Pois vos digo que importa que se cumpra em mim o que está escrito: Ele foi contado com os malfeitores. Porque o que a mim se refere está sendo cumprido – (Isaias 53,12)

Lucas 24:44  A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos – (JESUS diz que se pode verificar a natureza de sua missão lendo as Escrituras Hebraicas como um todo)

Lucas 24:46  e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia – (Oseias 6,2)

João 6:45  Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim. – (Isaias 54,13; Jeremias 31,34; Miquéias 4,2)

João 10:34  Replicou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: sois deuses? – (Salmo 82)

 

Além dessas, como dissemos, há inúmeras passagens em que o SENHOR JESUS usa as Escrituras Hebraicas para redargüir e ensinar, usando-a como única instrumento valido para medir a conduta do homem em relação ao padrão do DEUS CRIADOR. Para Ele, as Escrituras eram a única regra de Fé e pratica. Vejamos algumas das mais conhecidas passagens:

 

Mateus 5: 17 “ Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.

18 - Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra.

19 - Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus”.

Mateus 22,29: “ Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”

 João 5,39“Examinais {ou Examinai} as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. 40 - Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida.

 Não há como fugir a verdade de que JESUS não ensinou nada que já não estivesse escrito nos escritos antigos do povo judeu. O padrão em que Ele cumpriu tais mandamentos é que estava muito acima dos homens.

As declarações não deixam duvida de que Ele afirmava que as Escrituras são escritos proféticos que descreviam sua vinda em pormenores impressionantes.

 

O Salmo 22 de Davi é uma das mais claras profecias sobre o Messias Sofredor. Ele começa com o conhecido brado que o SENHOR JESUS exclamou do alto da cruz: “DEUS, meu DEUS por que me desamparaste?” Três dos evangelhistas (Mateus, Marcos e João), talvez por serem judeus, citam que ali se cumpria essa passagem. O SENHOR a citou nessa hora ciente de que com isso poderia ainda forçar alguns incrédulos fariseus e saduceus, conhecedores do texto, a rever sua posição, mas cegos pelo ódio, eles reproduziam a profecia letra por letra:

 

Verso7 e  8: 7  Todos os que me vêem zombam de mim; afrouxam os lábios e meneiam a cabeça:

8  Confiou no SENHOR! Livre-o ele; salve-o, pois nele tem prazer –  compare com Mateus 27,39  Os que iam passando blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo:

40  Ó tu que destróis o santuário e em três dias o reedificas! Salva-te a ti mesmo, se és Filho de Deus, e desce da cruz!

41  De igual modo, os principais sacerdotes, com os escribas e anciãos, escarnecendo, diziam:

42  Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se. É rei de Israel! Desça da cruz, e creremos nele.

 

Também os soldados o escarneciam como vemos no verso 12 do Salmo 22: 12  Muitos touros me cercam, fortes touros de Basã me rodeiam.

13  Contra mim abrem a boca, como faz o leão que despedaça e ruge – compare com Lucas 23,36: “E também os soldados o escarneciam chegando-se a Ele e dando-lhe vinagre.”

 

Os soldados romanos também cumpriram a profecia que diz que as vestes seriam repartidas: Salmo 22, 18 – “Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes” – João 19,24  Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela para ver a quem caberá—para se cumprir a Escritura: Repartiram entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica lançaram sortes. Assim, pois, o fizeram os soldados.

 

Todo o cenário de aflição e dor do Golgota pareciam vividos demais ao salmista como se Ele estivesse presente na cena, nenhum detalhe passou desapercebido:

 

14  Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim.

15  Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte.

16  Cães me cercam; o ajuntamento de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés.

17  Posso contar todos os meus ossos; eles me estão olhando e encarando em mim.

18  Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes.

19  Tu, porém, SENHOR, não te afastes de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me.

 

É impressionante como os lideres judeus tiveram seus corações endurecidos para ver e entender diante de seus olhos o cumprimento dos escritos messiânicos. O tempo da chegada do Messias podia ser claramente discernido nas profecias de Daniel, capitulo 9, pois eles viviam no tempos descrito pelo profeta como a 62ª semana depois do cativeiro babilônico.

 

A passagem, de difícil interpretação diz, no verso 26 que o Messias, o Ungido, viria por essa época, mas  seria “cortado”, ou morto e rejeitado e que a cidade santa e o templo seriam depois destruídos. É impressionante que o povo cuja cultura toda formada em torno desse livro, ignorasse a natureza de seu Messias e que Ele não viria para trazer emancipação política dos opressores romanos, pelo menos não imediatamente.

 

Isaias, o maior profeta messiânico, tece um quadro do Messias que contradiz as expectativas judaicas. O Servo Sofredor, reconhecidamente para os judeus uma figura do Messias, sofre e é aviltado antes de trazer vitória ao seu povo: Isaias 50, 6 - 6  Ofereci as costas aos que me feriam e as faces, aos que me arrancavam os cabelos; não escondi o rosto aos que me afrontavam e me cuspiam; Isaias 52, 14: Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens); Isaias 53 : “Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e... era desprezado, e dele não fizemos caso.Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados....Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido... Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas o rico (José de Arimatéia?)esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca... porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu”;

 

Sobre a natureza universal da salvação trazida por Ele e a inserção de outras nações na herança dada a Abraão, escreveu Isaias: cap. 52,15  : “assim causará admiração às nações, e os reis fecharão a sua boca por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão”; cap.49,6: “Sim, diz ele: Pouco é o seres meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os remanescentes de Israel; também te dei como luz para os gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra”; cap.61, 5  : “Estranhos se apresentarão e apascentarão os vossos rebanhos; estrangeiros serão os vossos lavradores e os vossos vinhateiros”; cap.65,1: “ Fui buscado pelos que não perguntavam por mim; fui achado por aqueles que não me buscavam; a um povo que não se chamava do meu nome, eu disse: Eis-me aqui, eis-me aqui; 2 - Estendi as mãos todo dia a um povo rebelde, que anda por caminho que não é bom, seguindo os seus próprios pensamentos” – leia como Paulo usa essa passagem em Romanos 10,20.

 Como  poderiam entender o caráter da missão de JESUS de trazer salvação espiritual que alcançasse todos os povos?Nisto realmente se cumpriu a profecia de Isaias citada por em João 12, 38 a 43:

 38  para se cumprir a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor?

39  Por isso, não podiam crer, porque Isaías disse ainda:

40  Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e sejam por mim curados.

41  Isto disse Isaías porque viu a glória dele e falou a seu respeito.

42  Contudo, muitos dentre as próprias autoridades creram nele, mas, por causa dos fariseus, não o confessavam, para não serem expulsos da sinagoga;

43  porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

 

ELE VEIO PARA OS QUE ERAM SEUS, MAS OS SEUS NÃO O RECONHECERAM

 É curioso notar também que um dos principais motivos que levaram os principais dos judeus a condenarem o SENHOR JESUS é que Ele se proclamava “Filho de DEUS”, ou seja, que possui natureza divina. Ora, seria de se esperar que os judeus soubessem que o Messias na sua vinda não seria um mero homem comum como declara a Escritura em Isaias 9, 6 : “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”;

  Se atentassem de todo coração para a Escritura e não dessem voz ao seu coração, teriam entendido melhor o caráter e a natureza do Messias e sua missão de levar a Sua Luz aos povos. Teriam entendido também que não eram donos exclusivos da Revelação mas agentes da sua propagação e não teriam retido seu conhecimento. O povo que primeiro foi eleito negou o pão aos outros povos e ele foi tirado de suas mãos e dado a quem tinha fome, a nós, os povos “gentios”.

 É uma grande benção poder entender qual foi o plano de DEUS para aquele povo e o porquê  de seu sofrimento até os dias de hoje: Eles se agarraram às Escrituras achando que elas lhes davam direitos sobre o DEUS criador quando na verdade elas foram dadas para que entendessem a Sua mente e Seu Amor ao homem, tanto judeu quanto gentio, pois em DEUS não há acepção de pessoas (para entender melhor como o DEUS verdadeiro nunca deixou de abençoar os povos e a chamada à conversão dos povos gentios, leia no livro de Atos as seguintes passagens: todo o capitulo 10; capitulo 14.16 e capitulo17; 15 a 33) , tanto que Ele deu leis parecidas com as dos judeus e legisladores justos a todos os povos que, assim, puderam sair da barbárie e realizar grandes coisas na Historia , e que Ele mesmo havia de se manifestar em certo tempo determinado descendo ao mesmo nível da sua criação tomando sobre si uma vestimenta de barro.

 Infelizmente, o erro do povo “eleito” não é um erro peculiar a sua etnia, mas próprio do ser humano em si. Será que hoje em dia estamos isentos de incorrer na mesma pratica e encerrar as Escrituras dentro do pensamento estreito praticado dentro das estruturas eclesiásticas que se dizem porta-vozes únicos da mensagem bíblica?

 

O PESO DA REVELAÇÃO – LER A PALAVRA CONTRA NÓS MESMOS

Certas denominações, principalmente neopentecostais, em sua maioria bolsões onde se propaga a mentalidade do “Tomar posse das promessas” sempre num enfoque pessoal de realização financeira ou de projetos egocêntricos? Não que não devamos nos esforçar para sermos pessoas bem sucedidas em todas as áreas mas falo no tocante às prioridades eleitas para ocupar os primeiros lugares no púlpito. Muito tempo e energia são gastos para convencer as ovelhas sobre a importância e prioridade de cumprir o mandamento bíblico de ser fiel no dízimos e ofertas para que ela seja protegida do “devorador” (Oh, que medo!!) e para que seus projetos sejam abençoados e muito pouco tempo é gasto para incentivar as pessoas a se doar em boas obra e dar um pouco do seu tempo aos doentes, velhos e orfãos. Os “cristãos” de hoje não são mais exemplos de boas obras mas Ele disse: “Vós sois o sal e a luz do mundo...Assim resplandeça diante de ti a vossa luz diante de vos para que vejam as vossa boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” – Mateus 5,16 .

 Gasta-se muito tempo nos púlpitos das igrejas pentecostais, aquelas mais conhecidas pelo barulho e gritaria nos cultos, para se falar em vestimentas, cumprimento de saias e cabelos, e apontar e condenar a presença do diabo em cada canto da presente cultura global, seja em novelas, filmes ou mesmo em desenhos, do que para falar que o Amor de DEUS está disponível a todos e que Ele não veio para os sãos mas para os doentes. Há algo errado com uma igreja que só aponta e condena o mundo, mas não é capaz de mostrar na pratica diária o Amor de DEUS pelo perdido. Nos tornamos mesmo muito fariseus.

 Em contrapartida à benção dada pela Revelação da Salvação comum dos povos, é preciso ter em mente a grande responsabilidade que é ser porta-voz de DEUS para essa geração, a voz que clama no deserto de hoje em dia. Precisamos fazer o que o povo judeu não fez, algo incomum nos dias de hoje entre o “povo de DEUS” que alguém, um colunista da revista Ultimato, que não recordo o nome nesse instante, chamou de “ler a Bíblia contra nós mesmos”. Os momentos mais edificantes que tive diante daquilo que “Está Escrito” foi quando fui confrontado com aquilo que pensava ser correto. Se não for usada desse jeito, as Escrituras perdem a sua principal função: a de ser espada de dois gumes que corta dos dois lados: o lado do mundo que ouve e o lado de cá que fala. Sem efeito em mim, ela só fere o mundo exterior, quando a Escritura diz em Hebreus 4, 12 : “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”.

 A verdadeira Lei de DEUS escrita nas tabuas de nosso coração não restringe a Palavra a um nicho evangélico, às praticas e doutrinas desse ou daquele grupo, ela expande o entendimento que temos de que Ela foi dada a todos os homens como instrumento de revelação da mente do DEUS que se revelou em JESUS Cristo, que de outra forma já se revela àqueles que são sensíveis a aprender através da própria vida, nos relacionamentos familiares e observando a Criação  e questionando o por quê da existência . Como diz Proverbios 2, 4 : “ Se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, 5 - então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus”. Por meio desse emaranhado que se confunde com nossa próprias vidas, aqueles que se propõem a entender essa coisas, embora nunca obtenham todas as respostas, chegam a conclusões parecidas: a ordem e a beleza das coisas criadas parecem indicar firmemente a existência de DEUS (ler Romanos 2,20 e o Salmo 19) mas o mundo dos homens, capaz de realizar o Bem mas tão propenso a praticar o mal, é caótico, cheio de ódio e dor, indicio da queda e do pecado (todas as culturas guardam a tradição de uma epoca em que o homem era puro – ler Romanos 6,23 e todo o capitulo 7). Todo aquele que se aplica a conhecer mais sobre esse espetacular mundo em que vivemos, sobre si mesmo e sobre os relacionamentos humanos, coletando dados aqui e ali, sem se tornar dogmático se prendendo em axiomas que espelham tão somente visões fragmentadas, adquire uma boa base empírica para se chegar ao verdadeiro inicio da sabedoria. Só então, a verdadeira aventura pode começar.


 A AVENTURA DA ORTODOXIA

 Chesterton, o jornalista e escritor inglês, que de racionalista ateu, porem inconformado com as soluções acadêmicas para o mundo moderno, passou a defensor da teologia cristã disse, com seu humor irônico e peculiar que fazia piadas sobre si mesmo, que era um homem que “com grande ousadia” descobriu aquilo que já havia sido descoberto antes.

“Tentei criar uma nova heresia, mas quando lhe dava os últimos retoques, descobri que era ORTODOXIA.” – G.k. CHESTERTON, do livro ORTODOXIA DE 1908.

 De modo bastante parecido, outro monstro que influenciou o pensamento cristão do século passado, C.S. Lewis, acadêmico de Oxford e autor de vários clássicos como “Crônicas de Narnia”, só descobriu a Ortodoxia depois de passar a maior parte da vida combatendo-a. Em seu livro “Surpreendido pela Alegria” ele descreve como foi vencido como numa partida de xadrez por um jogador invisível que o levou a reconhecer não só a existência de um DEUS Criador mas também a revelação de Seu Filho ao mundo.

 Em que pese o abismo intelectual entre eu e esses dois ilustres senhores, vejo semelhanças entre suas trajetórias e a minha experiência pessoal. Como Chesterton, nunca perdi o senso de magia do mundo, apesar das explicações praticas que sempre tentaram me empurrar. Sempre me pareceu que os lógicos, como Freud ou Darwin eram os lunáticos que tentavam encobrir o fantástico e o surreal. Isso ficou evidente para mim quando li, por volta dos 15 anos, o livro “O Despertar dos Magicos”, de Louis Pawells, fundador da revista Planete, lançado nos bombásticos anos entre 68/69 e que falava, de modo sensato e sem sensacionalismos, entre outras coisas absurdas, porem reais, para as mentes acadêmicas, da magia envolvida no nazi-facismo (Porque será que eu sempre vi os nazistas como uma seita? Toda aquela simbologia e ritualística....Não havia um contexto até então...Mas aí, as coisas se encaixaram perfeitamente). Como Lewis disse em “Surpreendido pela Alegria”, havia um sentimento confuso e angustiante às vezes, uma saudade de algo ou um lugar no qual você nunca esteve antes, algo que ele descreveu como um aguilhão, uma pontada, um anseio inconsolável. Esse sentimento difuso te faz suspeitar de uma outra realidade que por vezes está muito perto, quase palpável, espreitando você, mas quando você se volta para encara-la de frente, ela já se foi por completo. Buscar encontrar isso plenamente pode nos levar muito longe e muitos o fazem, como o próprio Lewis, correndo o risco de serem enganados por simulacros daquela sensação, seja no autocontrole, no asceticismo, seja nas drogas, no sexo desenfreado, etc...Mas a sensação fatalmente continuará lá.

Descobri esses dois mestres há pouco tempo, mas desde então tenho reconhecido que a alma humana, não importa se é a alma de um simples ou deum erudito, é atraida por aquilo que mais anseia: significado para a vida.

 É quase como a descrição do mundo de Matrix (essa ficção é fantástica!). Você pode escolher continuar em frente e tomar a pílula vermelha ou continuar feliz com o que sabe e tomar a pílula azul. Se escolher ir em frente, a Verdade será tua guia e te mostrará até onde vai a toca do coelho. Seguir em gente não vai parecer tão bom quando você ver que a maioria ao redor faz questão de continuar dormindo e seu caminho vai ser solitário a não ser pelo fato de que algo mudou dentro. Aquela convicção agora não está fora, mas habita dentro de você e o acompanha onde quer que vá.

 Desse modo se cumpre em nós a passagem de Provérbios 2 diz: 4  se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares,

5  então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus.

 E esse caminho, percorrido por gigantes do pensamento cristão como Chesterton e C.S.Lewis (também percorrido por gente simples de intelecto, pois para trilha-lo só é necessário uma coisa: estupefação constante diante da vida e do mundo) fatalmente guiará o individuo àquilo que JESUS anunciou em João 6:45 - Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim.

 Esse sentimento só deveria crescer dentro de nós e penso que nossa estupefação diante do que a vida significa deveria se tornar tão grande que deveríamos deixar as outras coisa de lado irremediavelmente, como uma criança larga um brinquedo velho e inútil quando ganha um novo. Como Chesterton disse, só o fato de ser um ser humano andando sobre as duas pernas deveria nos fazer radiantes e assombrados. Descobrir a Ortodoxia deveria parar de vez nosso cinismo, egoísmo, nossa hipocrisisa, nossa lutas e acima de tudo, o sentimento que faz com que achemos que fazemos algo importante nessa vidinha moderna medíocre. Os índios sabiam o que era realmente importante: lutavam para sobreviver em meio ao natureza tentando estar em harmonia com suas forças e cultivando um senso de que a vida é um dom sagrado como tudo o mais. Nós perdemos isso irremediavelmente.

 Fico triste ao ver que o povo que deveria ser o espelho da Gloria e Sabedoria Daquele que não reteve a própria vida por paixão a nós se ver empobrecido por doutrinas e credos e visões fragmentadas de homens tacanhos que só desejam construir impérios pessoais e tronos para seus bezerros de ouro, aprisionando o povo num cativeiro babilônico que o faz perecer por falta de conhecimento e sabedoria. 

Descobrir JESUS, sua natureza, sua missão, seu sacrifício pelo pecado humano e adquirir seu perdão, sua paz e Sua compreensão de qual é nosso papel na propagação do seu Evangelho é o ápice da Revelação de DEUS para aqueles que tem buscado entendimento de o quê é a vida. Esta é a ORTODOXIA que temos que descobrir e manter por toda nossa vida e desbrava-la como quem entra numa selva, aprendendo todas as suas nuances e como sobreviver nela, dia após dia. Não há outra doutrina, não há outro credo nem outro fundamento que os cristãos devam ensinar ou aprender a não ser se tornar mais semelhantes a Ele em Sua infinita paixão e abnegação por um mundo que o odiou e ainda odeia tudo que Ele representa .

 Temos que voltar a ler as Escrituras contra nós mesmos e deixar o Espírito Santo operar mudanças, mesmo que elas impliquem em “perder” aquilo que nos parece tão caro hoje em dia. Quantos estão dispostos a deixar os discursos grandiloquentes para voltar a simplicidade que há em Cristo?

 Frequentemente, quando duvidas e as limitações da razão humana me assolam, e me sinto diminuído pelas circunstancias da vida normal, cotidiana, destes dias maus em que parece cada vez mais difícil encontrar a verdadeira humanidade, a pressão para abrir mão da mais alta visão do que é o homem e a vida são mais fortes e me sinto tentado a ceder. O que me tem socorrido nestas horas não são doutrinas ou credos, nem visões espirituais de anjos ou do paraíso ou uma voz que me diz palavras confortantes para me dar certezas de fé. Nesse momento, solitário e angustiante, volto meus olhos para este mundo, perfeito em seu planejamento e funcionamento, exceto pela minha presença insignificante, e para as evidencias da vinda de um Homem que disse varias vezes “Está Escrito”. Ele me faz pegar novamente aquele livro de capa preta sobre a estante e me sinto equilibrar novamente sobre o fio da navalha e a aventura da ORTODOXIA começa de novo e de novo e de novo...


0 comentários:

Postar um comentário

Leu, gostou, odiou, quer malhar? Deixe sua opinião, ora bolas!!!Tá com medo, por que entrou na Trincheira? Não fique em cima do muro!!!!

Leia também